Simon negou que sua intenção seja prejudicar os estados produtores. Explicou que, na emenda, a ideia é que a União compense eventuais perdas de arrecadação decorrentes do novo modelo. A expectativa do senador é de que, só para o Rio, o ressarcimento seja de cerca de R$ 7 bilhões:

- Ninguém sairá perdendo um centavo. Quero ver quem terá coragem de votar contra essa emenda. Vai perder votos - afirmou Simon.
" Ninguém sairá perdendo um centavo. Quero ver quem terá coragem de votar contra essa emenda. Vai perder votos "
 O Palácio do Planalto estava duplamente preocupado. Primeiro, por acreditar que pôr em pauta a discussão dos royalties ontem atrapalhava os debates em torno do Fundo Social e da capitalização da Petrobras. Além disso, sabia que, em ano eleitoral e com votação nominal, o risco de a emenda de Simon passar era altíssimo.
A destinação dos recursos do Fundo Social foi também amplamente discutida, de acordo com os interesses de cada participante. O senador Paulo Paim (PT-RS) defendeu que 5% do total arrecadado sejam destinados à Previdência. Cristovam Buarque (PDT-DF) defendeu que sejam estabelecidos critérios rigorosos para fiscalizar o repasse à área de educação.

 

Publicada em 10/06/2010 às 02h49m
Eliane Oliveira
 fonte:O Globo