Dois acontecimentos na noite desta sábado -4- vão deixar o mercado de petróleo sob tensão na abertura do mercado na segunda-feira: um  míssil foi lançado pela força aérea do Iêmen sobre a capital da Arábia Saudita, Riad, mas foi interceptado antes de causar danos, segundo autoridades locais. O míssil foi interceptado a noroeste da cidade,  próximo ao aeroporto Internacional King Khalid. Até o momento não há maiores informações e nem se a Arábia Saudita, com forte poder militar apoiada pelos Estados Unidos, vai revidar. Se isso acontecer, provavelmente o mercado do vai ficar nervoso.  A Arábia Saudita é o maior produtor mundial de petróleo.

O outro fato que está sacudindo o governo do país, foi que  horas depois de o Rei Salmanter anunciado a constituição de um novo comitê de combate à corrupção, dez príncipes e dezenas de antigos ministros e quatro atuais governantes foram detidos. Riad trocou também de ministro da Economia e remodelou as chefias da Guarda Nacional e da Marinha. Foram afastados o Príncipe Meteb bin Abdullah, que liderava a Guarda Nacional, e Adel Fakeih, Ministro da Economia. Também o comandante da Marinha saudita, Abdullah al-Sultan, foi substituído. Riad faz assim alterações em dois setores fundamentais – o da segurança interna e a economia. Estas alterações surgem meses depois de o Rei Salman, no trono desde 2015, ter afastado o sobrinho Mohamed bin Nayef da linha de sucessão e de todos os cargos que este ocupava, e ter feito seu sucessor direto o filho, Mohammed Bin Salman-FOTO- que agora lidera o comitê de combate à corrupção que levou a cabo as detenções ocorridas neste sábado.