ompetro-centro-convençoes-macaé

       O secretário executivo da Organização dos Municípios Produtores de Petróleo (Ompetro), Marcelo Neves, que representou a Prefeita Rosinha Garotinho, presidente da entidade, durante reunião nesta segunda-feira (02) no Centro de Convenções de Macaé, informou que os municípios produtores vão formalizar documentos que serão encaminhados aos governos do estado e federal e à Petrobras expondo as perdas da região, alertando para as demandas e efeitos da crise no aspecto econômico e social da região, que é a maior produtora de petróleo do país.  Na reunião desta segunda, eles apresentaram propostas para desenvolver estratégias de enfrentamento à crise desencadeada pela queda dos royalties em torno de 50%, e redução de outras receitas como ICMS, IPI e FPM. O presidente da Câmara de Vereadores de Campos, Edson Batista, também, participou da reunião.

 A expectativa é de que, no sábado (07), todos compareçam com propostas em reunião extraordinária em Búzios, que terá a presença da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), que acaba de fazer levantamento sobre os efeitos da crise.  “A Prefeita Rosinha defende o diálogo com as empresas do setor no sentido de estabelecer um programa para reduzir as demissões intensificadas nas últimas semanas”, disse Marcelo Neves, lembrando que, desde outubro do ano passado, a prefeita Rosinha vem tomando medidas para enfrentar a crise.


- O Norte Fluminense tem disseminado riqueza para o Brasil, com a geração de milhares de empregos e divisas e, por isso, tem atraído brasileiros de diversas regiões. Neste momento de crise, os governos federal e dos demais estados precisam ter sensibilidade e, de alguma forma, contribuir para minimizar os efeitos dessa crise que não apenas afeta essa região com a perda de receitas, mas também pela falta de água que afeta a economia -, observou Marcelo Neves.

O mesmo documento vai sugerir medidas, como por exemplo, que seja evitada demora nos repasses dos recursos que cabem aos municípios da região, dentre outras, como a divulgação das potencialidades da região para outras atividades econômicas, e desta forma, atrair empresas para compensar as baixas de empregos que já acontecem no setor petróleo. O objetivo do documento é evitar que a crise leve as Prefeituras a inviabilizar projetos e serviços imprescindíveis à população.

Para a reunião desta segunda-feira, o prefeito de Macaé, Aluizio dos Santos Junior, convidou Alfredo Renaut, da Organização Nacional das Indústrias do Petróleo (Onip), e Gilson Batista Coelho, secretário da Associação das Empresas Brasileiras dos Serviços de Petróleo (Abespetro) e da Marcoplan, empresa que atua na área de planejamento e gestão de crise. Renaut  falou sobre o tema “Cenário e Perspectivas do Setor Petróleo”, e Gilson sobre a necessidade de descentralizar o papel da Petrobras no setor. Ele anunciou que a Abespetro vai trabalhar uma agenda positiva e que chamará os presidentes dos partidos para mostrar que é um equívoco manter a Petrobras como operadora única e obter sucesso. 

 

FONTE: http://www.campos.rj.gov.br/exibirNoticia.php?id_noticia=29701